terça-feira, 30 de agosto de 2011

Decepções vêm, principalmente, quando você se rala para que alguma coisa dê certo. Hoje eu queria só gravar a música “skyscraper” da Demi Lovato com a minha voz. Gravei primeiro o violão, umas 500 vezes. Depois gravei a voz, fiz até uma segunda voz minha mesmo. E no final, não ficou bom. Além de a música só poder ser aberta por aquele programa que a gravou, minha tentativa de gravar da caixa de som do PC pro Celular, não deu certo. Se estou triste? Um pouco, afinal, perdi tempo pra nem ao menos dizer “Pai, mãe... ficou legal eu cantando a música... ouve aí!”. Aliás, eles seriam os únicos a ouvi-la. Talvez o meu  best também ouviria (eu devo isso a ele), mas só.
Mas sabe, se fosse há 4 anos atrás, muito provavelmente eu ficaria super decepcionada. Acharia que não seria capaz de cantar nem mais no chuveiro e excluiria o programa de gravação do meu computador. É, há 4 anos atrás eu tinha meus sonhos malucos, e pensava que poderia ser cantora. Aaai, doce ilusão.
Uma vez eu li uma entrevista de um empresário que dizia que ele realizou 60% de seus sonhos no máximo. Que seria impossível realizar todos, afinal, ele não conseguiria ser empresário e jogador de futebol ao mesmo tempo. E nem tinha porte para isso. Sabe? Eu concordo. Tive muitos sonhos e muitos deles não se realizaram, mas não fico acabada por isso. Tenho certeza que posso até cantar “bonitinho” ou “afinadinho” como eu sempre ouço alguém me dizer por aí, mas não é o meu sonho cantar pra uma platéia lotada. Me alegro cantando, mas pra cantar eu canto em qualquer lugar, seja na rua, no chuveiro, no corredor da facul, no CA da facul, na frente da TV. Desde que eu me divirta está bom o suficiente.
Se eu fosse cantora provavelmente eu não teria descoberto aquilo que me desafia e que eu tanto gosto: o Direito.
De notas musicais para as leis. É, pode parecer estranho, uma mudança radical e tanta, porém, é o que me deixa contente.
Se a decepção te alcançar, não se feche para a vida. Abra bem os olhos e veja novos horizontes.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011



Não sei mais se os adolescentes estão mesmo mais malvados ou se são alguns que estão exagerando nos seus direitos de defesa.
Agora bullying virou moda, se cortar se tornou bonito, achar que é invisível virou desculpa, e falar que sofre disso tudo publicamente torna esses adolescentes populares.
Onde esse mundo vai parar desse jeito? Isso deveria ser motivo de tristeza e não de orgulho.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011



Eu posso cantar uma canção, escrever uma carta, mascar chiclete, andar descalça.
Eu posso dançar sozinha, rir por nada, sair de regata, nadar no mar.
Posso me sentir feliz com tudo isso ou posso não sentir nada.
Como você me vê passar não me define. Só me define aquilo que está no fundo do meu olhar.


Quando tudo parece que vai desmoronar, não desmorona. Quando tudo parece que vai acabar, não acaba. Quando tudo parece vazio, não está. Quando tudo parece afundar, não afunda.
Quando você tem Jesus como Aquele que segura sua mão, você já é mais que vencedor antes mesmo de começar, então, você sabe que nada pode te abalar. Você não está sozinho.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Ter amigos homens me fez aprender algumas coisas sobre eles – claro que não muitas – e dentre essas coisas, eu pude descobrir que eles também sonham com suas princesas. Só que não fazem disso um drama como as mulheres. Talvez para eles isso tudo seja como uma comédia romântica, onde eles fazem a comédia e nós o romance, formando assim, uma combinação perfeita. Basta um lado respeitar o outro e aproveitar o que há de melhor em cada um deles.


terça-feira, 2 de agosto de 2011

Aprendi nesses últimos dias que amigos que realmente gostam de você sempre prestam atenção naquilo que você fala e faz que seja importante. Sempre correm atrás quando acham que vão te perder. Sempre dizem que te amam, mesmo quando você não merece. Sempre te dão aquele abraço forte e quando soltam falam “dá mais um?” e te abraçam de novo. Sempre se importam com teus sentimentos, e quando você conta a eles os teus medos, eles fazem de tudo para tirá-los de você. Sempre te mostram que não irão a nenhum lugar, e mesmo que a distancia separe fisicamente, a mente e o coração nunca deixarão que vocês se separem.
Houve uma época em que eu pedia a Deus por verdadeiros amigos. Hoje eu agradeço a Deus pelos amigos que Ele me deu.
(Quem é sabe! Amo vocês!)